Empréstimo para novos negócios

O sonho de abrir um negócio e de ser o seu próprio patrão é partilhado por muitas pessoas, mas nem todas têm a possibilidade de o fazer. Seja por falta de dinheiro, seja por falta de ideias ou ainda de ousadia! O empreendedorismo exige não apenas recursos financeiros e um bom projecto, mas também a capacidade de partir para o desafio, arriscando.

Tudo na vida tem riscos, esses riscos são é diferentes conforme as situações. E empreender um negócio pode ser um risco calculado, caso seja bem planeado, com a compensação de que o êxito poderá mudar por completo a sua vida.

A possibilidade do micro-crédito

Os altos juros praticados pelas entidades bancárias no âmbito dos empréstimos são um factor que assusta muitos empreendedores, com boas ideias e desejo de abrirem o seu próprio negócio. E de facto, nunca é vantajoso recorrer a um empréstimo! Mas pode ser a única alternativa e quando assim é o importante é procurar as melhores soluções existentes.

Para investimentos de montantes reduzidos, há a possibilidade do micro-crédito que visa mesmo motivar os pequenos empreendedores interessados em desenvolverem uma actividade económica própria. Este modelo de empréstimo prevê ainda apoios na preparação do plano de negócio, bem como apoio, após a aprovação do financiamento, na resolução de dificuldades.

O recurso a apoios estatais e subsídios comunitários

A par dos empréstimos que se podem obter, outra forma de garantir financiamento para a abertura de um negócio é por via dos programas especiais do governo que vão sendo criados, precisamente para o apoio a pequenos empresários. Muitas vezes estas medidas governamentais incluem parcerias com Bancos que são, assim, obrigados a concederem empréstimos a empresários sob condições especiais, em particular taxas de juro mais reduzidas e prazos de pagamento alargados.

A União Europeia também tem diversos subsídios e medidas que visam a promoção do desenvolvimento local, do turismo, da agricultura, entre outros sectores, dos seus Estados-membros, disponibilizando assim fundos para esse efeito. Nalguns casos este financiamento pode ser obtido a fundo perdido.

Deve informar-se nas organizações locais do sector de actividade onde pretende abrir o seu negócio sobre que tipo de apoios poderá ter.

De quanto precisa mesmo?

Fundamental é que tenha consciência do montante concreto que será necessário para iniciar a sua própria empresa. Deve traçar um plano de negócios detalhado, somando todos os custos associados ao processo de abertura e à prossecução da actividade inicial da empresa, designadamente gastos mensais com alugueres, móveis, ferramentas, computadores, funcionários, veículos, telefone, electricidade, matéria-prima, entre outros.

Esse passo é fundamental antes de pensar sequer no empréstimo. Só depois de ter consciência da quantia exacta é que deve abordar as opções que tem ao seu dispor.

Pode tentar captar um investidor, em particular se tiver uma ideia original ou um produto verdadeiramente diferente ou interessante. E a possibilidade de pedir o dinheiro a um familiar ou a um amigo, oferecendo-lhes parceria ou sociedade, é uma alternativa que deve considerar. É uma solução muito mais vantajosa do que o empréstimo bancário. Contudo, é preciso que tenha em mente o velho ditado popular: amigos, amigos, negócios à parte!

Também poderá gostar de ler:

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>