Curso de auxiliar administrativo/a

Quem procura um emprego com saída certamente já ponderou imensas hipóteses mas eventualmente não todas as possíveis. Muitas vezes há alguns cargos específicos que por serem mais afastados das chefias nem se consideram, devido a um ou outro motivo, embora a verdade seja a de que é nos sectores de subordinação que ainda existe espaço no pequeníssimo e lotado mercado de trabalho português.

Na categoria descrita está o auxiliar administrativo/a, considerado como um emprego de pouca notoriedade pela sua aparente simplicidade, embora à décadas que essa opinião se tenha convertido em ultrapassável e completamente errada, pois a necessidade de qualificações superiores tem vindo a ser crescentemente adicionada às competências exigidas a quem concorre a essas vagas. O velho e pejorativo juízo implícito na frase “ah! És secretária” perdeu toda a sua ligação à realidade e não passa actualmente de um cliché da “idade da pedra”.

Contudo, a reticência e incompreensão, diga-se em abono da verdade e redundância à parte, incompreensível, continua a perdurar e poucos são os desempregados a colocarem de lado os preconceitos e responderem aos milhares de anúncios que diariamente surgem a solicitar candidatos àquele posto laboral. Ainda menos são os homens que respondem a esses classificados, reforçando o estereótipo que se mantém e segundo o qual este tipo de trabalhos é para “elas” e não para “eles”.

Hoje em dia, os auxiliares de escritório são bastante mais que meros “secretários” ou “pessoas de recados” e desempenham um papel determinante para a empresa ou patrão para quem trabalham, sendo a escolha destes funcionários vista crescentemente como a selecção de um “braço direito” e por isso mesmo efectuada criteriosamente. Não será o facto de possuir um diploma de ensino – seja ele superior ou não – que ditará a contratação final, mas sim um conjunto de capacidades tão diversas como a forma de lidar com os clientes e colaboradores, grau de independência na resolução de problemas e sobretudo a eficiência.

Os cursos de auxiliar administrativo/a exploram presentemente um vasto leque de aptidões, correspondendo assim às saídas que é possível conseguir com este género de formações. Enveredando por um plano de estudos adequado e completo que aborde, por exemplo, temáticas como a administração, economia e finanças, relações pessoais, organização e recursos humanos, as alternativas de empregabilidade são largamente ampliadas, não esquecendo obviamente toda a utilidade que esses múltiplos conhecimentos podem vir a ter na vida quotidiana e pessoal.

Se neste momento está à procura de emprego ou simplesmente pretende acrescentar algo que no futuro lhe possa ser útil na profissão que desempenha agora, não deixe de colocar a hipótese de um curso de auxiliar administrativo/a. É provável que diferentes módulos leccionados lhe esclareçam inúmeras dúvidas e expliquem como ultrapassar dificuldades várias em áreas distintas que não dominava.

Recorde-se que a escolha da formação é essencial e deve ser feita tendo em conta os objectivos que se ambicionam atingir. Não opte por um curso só pelo facto de este ser designado de “auxiliar administrativo/a”. Faça uma pesquisa cuidada das opções de que dispõe na sua área de residência ou locais a que está disposto a deslocar-se e decida-se sempre pela alternativa que melhor sirva os propósitos que deseja alcançar.

Também poderá gostar de ler: